Arquivo do dia: 20/11/2011

A TRAVESSURA DO REI PELÉ

No dia 2 de agosto de 1959 o glorioso Santos Futebol Clube venceu o Juventus na Rua Javari, nesta partida o Rei Pelé marcou o mais belo gol da carreira segundo avaliação dele mesmo. Foram 3 chapéus consecutivos em jogadores de linha, depois também encobriu o goleiro Mão de Onça e finalizou o lance com uma bela cabeçada.

Infelizmente o gol não foi registrado por câmera de televisão. No filme Pelé Eterno foi preciso reproduzir o lance por meio de tecnologia.

Se depender dos relatos de quem afirma ter visto o gol das arquibancadas do estádio naquele dia, pode se dizer que o estádio da Rua Javari então teve seu recorde de público. Hoje em dia, em tom de brincadeira, dizem que haviam 100.000 pessoas no estádio, todo mundo diz ter visto in loco o gol mais belo da carreira de Pelé, mas o detalhe é que na época o estádio comportava apenas cerca de 10.000 pessoas.

Em 2010, durante uma entrevista o ex-goleiro Mão de Onça relembrou o lance:

– Aos 36 minutos do segundo tempo, o Santos já vencia por 3 a 0. Antes da risca do meio-campo, o Pelé já saiu em disparada. Eu gritei para o Julinho: “Olha o Cão, atenção!”. Eu chamava o Pelé de Cão… Pensei que o Julinho ia cortar de cabeça, mas o Pelé matou no peito, tirou a bola, já o encobriu… Depois foram os outros. Fiquei por último… Quando eu levantei, com a bola lá dentro, o Rei comemorando, aquela gritaria toda no estádio, o Clóvis estava debaixo do gol. Se jogou lá, tentando tirar a bola. Olhei para ele e disse: “Pô, como é que pode esse cara meter um gol assim, dessa maneira?” Ele me respondeu: “Esse aí é o diabo em forma de gente!”. O Julinho ainda falou: “A bola estava no meu peito. Quando vi, sumiu!” – disse o ex-goleiro.

O Juventus é carinhosamente conhecido como “Moleque Travesso” denominação que ganhou e adotou após uma vitória surpreendente diante do time da Marginal em 1930, de lá para cá muitas foram as travessuras. Mas naquele 2 de agosto de 1959, quem aprontou foi o Rei Pelé, confira no vídeo abaixo:

O feito motivou que fosse erguido, em 2006, um busto em homenagem ao Rei do Futebol nas dependências do estádio.

Há algum tempo eu desejava conhecer o estádio Conde Rodolfo Crespi, popularmente conhecido como Rua Javari e palco do gol mais belo da carreira do Rei Pelé. Na manhã de sábado (19/11) estive no bairro da Mooca para tratar de um outro assunto e claro que aproveitei a oportunidade para dar um pulinho na Rua Javari.

Porém, quando chegamos lá (minha filha, a Lulu, estava comigo), nos deparamos com os portões todos fechados.

Edmar Junior diante dos portões fechados do estádio da Rua Javari

Foi necessário bater num dos portões em tentativa de chamar alguém, por sorte havia um porteiro, expliquei para ele meu desejo e tentei obter autorização deste para entrar. Deu certo, o porteiro foi gentil e permitiu nossa entrada.

Assim que passamos pelo portão, logo perguntei onde ficava o busto do Rei Pelé, e sem perder tempo passamos entre a arquibancada e o campo e seguimos direto para o local para tirar algumas fotos.

Edmar Junior diante do busto em homenagem ao Rei Pelé no estádio da Rua Javari

Tal pai, tal filha! Nosso rei é o Pelé!

Depois voltamos, tiramos algumas fotos na arquibancada e à partir dela, em seguida por alguns instantes ficamos contemplando o campo onde o Rei Pelé fez o mais belo gol de sua carreira.

Edmar Junior diante de arquibancada no estádio da Rua Javari

Edmar Junior e o campo onde o Rei Pelé fez o mais belo gol de sua carreira.

Segundo o ex-goleiro Mão de Onça, naquele 2 de agosto de 1959, o Rei Pelé estava visivelmente irritado com a perseguição da torcida do Juventus, fez então o mais belo gol de sua carreira, uma verdadeira travessura, ao final do jogo todos renderam-se a sua genialidade e o aplaudiram.

Foi fascinante e muito agradável conhecer o local da “travessura”. Agradeço aos “Deuses do Futebol” por nosso rei ser o eterno Rei Pelé.

Por ora, é só! Deixe seu comentário e até o próximo post!