Arquivo do mês: janeiro 2012

LITERATURA SANTÁSTICA: O NASCIMENTO DE UM GIGANTE

Concluí a leitura do livro: SANTOS FOOT-BALL CLUB – O NASCIMENTO DE UM GIGANTE – A HISTÓRIA DA FUNDAÇÃO.

O livro é uma obra que deve obrigatoriamente integrar a biblioteca de todo torcedor que ama o Santos Futebol Clube e tem interesse genuíno em sua gloriosa história.

Fruto do trabalho de conclusão do curso de História do autor Gabriel Davi Pierin, o livro traz preciosas informações da evolução da cidade de Santos desde seu nascimento num pequeno povoado até o início do século XX, os fatores e fatos que culminaram na fundação do Santos Football Club no entardecer do dia 14 de abril de 1912 e todo o processo de aquisição do terreno e construção do estádio Urbano Caldeira (Vila Belmiro).

Alguns fatos marcantes encontrados no livro:

– A cidade de Santos nasceu de um pequeno povoado, o povoado do Enguaguaçu;

– Em 1541 o povoado passou a receber a denominação de Porto de São Vicente;

– Em 1546 o povoado foi elevado a categoria de vila por Brás Cubas, denominada Vila de Porto de Santos, depois simplesmente Vila de Santos.

– Em 1839, a Vila de Santos foi elevada à categoria de cidade.

– Para sanear a cidade, o engenheiro Saturnino de Brito inventou um plano urbanístico que, entre outras realizações, cortou a cidade em canais.

– Em 1912, ano da fundação do Santos Futebol Clube, a cidade já era a maior exportadora de café do mundo.

– No dia 9 de abril de 1912, o jornal Diário de Santos publicou um anúncio no qual suas proféticas palavras não tardariam a cristalizar-se: “Vários sportsmen desta cidade estão empenhados em organizar um poderoso club de football”;

– A comissão organizadora que deu origem ao Santos Futebol Clube era formada por Mário Ferraz, Raymundo Marques e Argemiro de Souza Junior;

– O prefeito da época Sr. Belmiro Ribeiro de Moraes e Silva, curiosamente perpetuou-se na memória do Santos Futebol Clube emprestando seu nome ao antigo bairro da Vila Operária, mais tarde Vila Belmiro e mais adiante a Vila mais famosa do mundo;

– A reunião de fundação do Santos Football Club ocorreu em 14 de abril de 1912, um domingo, às 14 horas, na sede do Club Concórdia, à rua do Rosário 18, atual João Pessoa, nº 10.

Largo do Rosário, confluência das ruas General Câmara e do Rosário (local da fundação).

– A reunião de fundação contou com 39 pessoas;

Edmundo Jorge de Araújo foi quem sugeriu o nome Santos Football Club durante a reunião de fundação e após um breve silêncio uma salva de palmas tomou conta do salão. Transformando palmas em palavras, Raymundo Marques decretou: “Meus senhores! Acaba de ser fundado o Santos Football Club!”;

Raymundo Marques

– Sizino Collatino Patusca, embora ausente à reunião, foi aclamado o primeiro Presidente do Santos Football Club;

Sizino Patusca

Estes e outros fatos marcantes podem ser conferidos adquirindo o livro, o mesmo pode ser encomendado na loja virtual Realejo.

Algumas personalidades exaltadas no livro:

Agnello Cícero de Oliveira: sua trajetória ficou marcada por dirigir os destinos do clube em três gestões. Foi responsável por conduzir a compra do terreno e a construção da Praça de Esportes onde hoje se encontra o estádio da Vila Belmiro;

Dr. Álvaro de Oliveira Ribeiro (avô de Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, atual Presidente do Santos): organizou o primeiro Departamento Médico de um clube de futebol no Brasil, em 1914 foi escolhido vice-presidente do clube e assumiu papel relevante na compra do terreno e construção da Praça de Esportes (Vila Belmiro);

– No dia 15 de setembro de 1912, o Santos realizou e venceu seu primeiro jogo oficial, enfrentou o Santos Athletic Club, vitória por 3×2, sendo Arnaldo Silveira autor do primeiro gol oficial da história do Santos;

Adolpho Millon Junior: além de fundador, entrou para história do clube ao marcar o primeiro gol do Santos na Vila Belmiro;

Ricardo Pinto de Oliveira: foi jogador e dirigente de grande atuação no Santos, foi dele a proposta para adoção do nome Urbano Caldeira ao estádio do Santos Futebol Clube;

 – Urbano Caldeira: símbolo de trabalho, de bem querer, de administração e principalmente de crença nos destinos do Santos Futebol Clube. Foi jogador, tesoureiro, secretário-geral, diretor de esportes e até vice-presidente. Um dos cargos que desempenhou com maior dedicação foi de representante do Santos nas entidades que organizavam o futebol paulista no início do século XX.

URBANO CALDEIRA

A biografia destes e de outros importantes nomes da história do Santos Futebol Clube podem ser conferidas adquirindo o livro, o mesmo pode ser encomendado na loja virtual Realejo.

O livro traz ainda informações sobre as primeiras deliberações, os primeiros jogos e muitas outras preciosidades dos primeiros anos do glorioso Santos Futebol Clube. Nos anexos é possível conhecer detalhes sobre a população da cidade de Santos em 1913, ver a reprodução de um documento que apresenta o primeiro hino oficial do Santos, apreciar a relação contendo nomes e informações de todos os fundadores do clube, a reprodução  completa da Minuta de Contrato da Compra do Terreno e Construção das Instalações (Vila Belmiro) e entre outros itens uma planilha contendo dados dos primeiros sócios do Santos Futebol Clube.

Em suma leitores, trata-se de uma obra que proporciona uma leitura maravilhosa e indispensável. Vale muito a pena adquirir este livro para ler e integrar sua biblioteca santástica.

Uma curiosidade final, o autor do livro Professor Gabriel Davi Pierin é filho do ex-goleiro Carlos Pierin, o Lalá, que chegou no Santos em 1959 e permaneceu até 1962 defendendo o alvinegro praiano e convivendo com Pelé & Cia.

Tive a honra de conhecer pessoalmente  o ex-goleiro Lalá recentemente num evento oficial do clube.

À esquerda o Professor Gabriel (autor do livro). À direita Sr. Lalá (pai de Gabriel e ex-goleiro do Santos) com Edmar Junior

Por ora, é só! Deixe seus comentários e até o próximo post!

Edmar Junior

Chico Buarque, o Futebol e o Santos FC.

Neste post vou descrever sobre a relação existente entre Chico Buarque, o futebol e o Santos Futebol Clube.

A história deste post começou no dia que assisti uma palestra ministrada pelo Sr. Sergio M. Paz numa das reuniões de um grupo do qual sou membro e que tem como missão promover a difusão da literatura e de outras formas de expressão cultural e artística do futebol, bem como apoiar a preservação da memória do futebol. Na palestra supracitada o palestrante dissertou principalmente sobre a correlação de dois fenômenos sócio-culturais: o futebol e o cinema.

No decorrer da palestra o Sr. Sergio apresentou uma lista de filmes cujo futebol é o tema principal e outros onde o futebol não é o ponto central do enredo, mas de alguma forma esta inserido no contexto da obra.

Mesmo antes de assistir a palestra eu já tinha algum interesse por esta correlação entre futebol e cinema, quando a palestra terminou tive a convicção de que o interesse era genuíno e decidi iniciar de forma selecionada uma coleção de filmes sobre futebol e correlatos.

Para começar a coleção estive em algumas lojas e também visitei o site de outras na Internet, após algumas pesquisas adquiri os primeiros filmes para compor o acervo inicial, entre eles adquiri o DVD Chico Buarque O Futebol.

Este filme inclusive havia sido mencionado sem muita ênfase na palestra do Sr. Sergio e confesso que eu não nutria muita expectativa sobre este filme, até porque embora eu já soubesse que Chico Buarque é um dos mais importantes e reconhecidos artista do Brasil, eu particularmente até então não acompanhava, não tinha tido oportunidade ou até mesmo interesse de apreciar em detalhes um trabalho deste conceituado artista.

Porém, pasmem! Quando comecei assistir o DVD logo constatei que o filme era uma grata surpresa, principalmente para quem torce para o glorioso Santos Futebol Clube!

O DVD Chico Buarque O Futebol, o oitavo da série retrospectiva de sua carreira/obra mostra que a  paixão de Chico Buarque pelo futebol só tem como rival sua ligação com a música, e às vezes leva vantagem. No filme Chico rememora grandes craques e momentos do futebol brasileiro, na Confeitaria Colombo, no Rio de Janeiro, interpreta sambas que falam de futebol.

E como não podia ser diferente, durante todo o filme há um destaque especial para o Politheama, time de pelada de Chico Buarque, que começou como time de futebol de botão e posteriormente foi promovido a time de seres humanos.

E o filme começa justamente com Chico Buarque apresentando a letra do hino do Politheama, neste ponto cabe um aviso ao leitor que se interessar em assistir o DVD: o hino do Politheama é daqueles que entra na cabeça e teima sair, quando você menos esperar corre o risco de se pegar cantando de forma entusiasmada o hino do Politheama.

Bom, mas chegou à hora de contar aos leitores onde efetivamente o Santos Futebol Clube entra nesta história toda:

O filme ainda estava no começo, até então somente o hino do Politheama havia sido apresentado, eu ainda me ajeitava no sofá, eis que surpreendentemente surgiu na tela numa tomada aérea um ônibus do Santos Futebol Clube na estrada rumo à Santos. Tratava-se da delegação do Politheama, aquela altura já com 26 anos de história, cerca de 2600 jogos realizados e sempre cultivando a fama de não perder, eles estavam indo realizar um jogo beneficente na Vila Belmiro contra os veteranos do Santos Futebol Clube, árdua missão para os jogadores de um time que diziam nunca ter perdido, o resultado vocês podem imaginar, rs. Chico e sua turma saíram da Vila dizendo que foi apenas um “amistoso”, rsrs.

Chico Buarque atuando por seu Politheama em “amistoso” contra os veteranos do Santos Futebol Clube.

Tido como torcedor do Fluminense-RJ, há um momento no filme que Chico diz gostar mais de futebol do que do próprio time das Laranjeiras e que na sua juventude quando queria ver espetáculo ia ver o Santos Futebol Clube jogar.

Dos tempos da juventude Chico também carrega consigo até hoje enorme apreço pelo eterno e já falecido craque Pagão, seu grande ídolo no futebol, que vestiu e honrou o manto sagrado da Vila quando por lá esteve entre 1955 e 1962. A admiração de Chico por Pagão é tamanha que nos jogos do Politheama ele joga com a camisa 9, tal como o ídolo usava, assina as súmulas dos jogos de seu time de pelada como se fosse Pagão e tentar imitar os gestos e o futebol do ídolo. No filme há um emocionante encontro entre Chico e Pagão.

O craque Pagão nos tempos de Santos. E no encontro com o fã Chico Buarque.

O Santos Futebol Clube é conhecido mundialmente como o time da técnica e da disciplina, mas no filme Chico relembrou de alguns jogadores considerados bad-boys do futebol, entre eles mencionou Almir Albuquerque, o Pernambuquinho, o também já falecido ex-jogador do Santos que teve destacada importância no título de BICAMPEÃO do MUNDO conquistado pelo glorioso alvinegro praiano diante do Milan-ITA em 1963. Na ocasião dos jogos finais contra a equipe italiana Almir substituiu muito bem o Rei Pelé que estava afastado por contusão. Almir era um jogador raçudo, mas também era um tanto alucinado e foi protagonista de muitas brigas durante sua carreira, morreu assassinado em um bar no Rio de Janeiro em 1973. O antes brigão e ex-jogador do Santos Serginho Chulapa também aparece em imagens deste ponto do filme.

Almir (o Pernambuquinho) e o Rei Pelé em 1963 celebram o BICAMPEONATO MUNDIAL conquistado pelo Santos Futebol Clube.

Serginho Chulapa e Edmar Junior. O “bad-boy” e ex-jogador do Santos Serginho Chulapa também aparece nas imagens do DVD.

Por outro lado, quando Chico destaca no filme a magia do drible, ele menciona e enaltece o futebol praticado pelo craque e ex-jogador do Santos Robinho, o Rei das Pedaladas.

O futebol arte e irreverente do craque Robinho foi lembrado por Chico no filme.

Culturalmente é um filme excelente, expressa muito bem a correlação futebol e cinema, especialmente com histórias e belas imagens deste encantador esporte. Além disso, o filme nos conduz em viagem para algumas das mais belas cidades do mundo, acompanhando Chico Buarque em Lisboa, Barcelona, Paris e Budapeste, o artista inclusive chega a bater uma bolinha nestas cidades. E tudo isto intercalado por música da mais alta qualidade na voz de Chico durante a exibição do filme.

E se no início no filme fui surpreendido quando o ônibus do Santos surgiu na tela, se vibrei no decorrer da exibição a cada vez que algo relacionado ao glorioso alvinegro praiano era mencionado, o que dizer do final do filme? Mal tenho palavras para descrever meu contentamento quando vi um certo Rei chegando em visita à Chico Buarque.

Muito bacana este encontro, e se não bastasse o Rei Pelé ainda tirou uma onda com o time da Marginal, rsrs.

Vale muito à pena adquirir o DVD Chico Buarque O Futebol, pois se trata de uma obra que sem dúvida deve integrar o acervo de todo amante da arte, da música e principalmente do futebol.

Por ora, é só!

Ops, antes de encerrar o post, só mais uma informação. Nos extras do DVD que mostram imagens de bastidores, tem uma cena do Chico Buarque chegando ao estádio do Maracanã para uma gravação, nesta cena há um detalhe com potencial para deixar muitos torcedores do Santos extremamente satisfeitos. Vale à pena comprar o DVD e conferir. Bom divertimento!

Gostou do post? Tem algum outro filme para indicar?

Banner Magazine DNA Santastico

Mureta de Santos - Blog DNA Santastico


Por ora, é só! Deixe seu comentário e até o próximo post!

Edmar Junior - Blog DNA Santastico

Edmar Junior

Torcedor do Santos FC por hereditariedade.
– Sócio do Santos FC desde 08/2006.
– Ex-Diretor Social da Associação Movimento Resgate Santista
– Membro da ASSOPHIS (Assoc. dos Pesq. e Historiadores do SFC)
– Membro da Confraria do Futebol Paulista/Por um Futebol Melhor
– Membro do Memofut (Grupo Literatura e Memória do Futebol)
Colecionador de livros sobre o Santos FC e seus ídolos.
Campeão do Quiz do Torcedor no Navio do Centenário.
Mantenedor do Blog DNA Santástico.
Mantenedor do Instagram @dnasantastico

Veja Tambem - Blog DNA Santastico

Logo Oficial Edmar Junior


ebook-guia-definitivo-para-criar-o-seu-negocio-online

PRÊMIO PUSKÁS 2011 – PARABÉNS NEYMAR

O craque Neymar do Santos Futebol Clube acaba de ganhar o Prêmio Puskás 2011 no FIFA Ballon d’Or. A honra deve-se ao fato do craque ser o autor do gol mais lindo do mundo em 2011.

Parabéns Neymar, orgulho da nação santista!

Reveja o gol, em imagens da SantosTV:


Por Edmar Junior