PAULISTÃO: LEMBRANÇAS FELIZES NO PRESENTE NEBULOSO

O texto que segue abaixo reproduzido no Blog DNA Santástico foi originalmente publicado no Jornal Imparcial de Presidente Prudente-SP.

O autor é o jornalista e ex-narrador esportivo Sr. Flávio Araújo, amigo que tive a honra de conhecer pessoalmente há pouco tempo. 

Flavio Araujo - Blog DNA Santastico

Sr. Flávio Araújo

Com os atrativos (poucos) e as queixas e críticas (muitas) está começando mais um campeonato paulista, o mais velho do país. Nasceu em 1902 (na queda de braço entre FPF e CBD nos anos 1935/36 houve dois campeões por ano em Ligas diferentes) quando ingleses, escoceses e descendentes forneciam jogadores e o que mais o jogo exigisse. Campos e bolas, inclusive. Havia até equipe alemã e os nativos foram chegando aos poucos. Por influência estrangeira alguns colégios iniciaram interinamente a pratica do jogo da bola antes que gramados e terrenos baldios a atraísse. Nos colégios era disciplina ligada à ginástica enquanto Charles Miller foi diretamente à formação de equipes e organização do campeonato. É muito bonita a história da presença do Colégio São Luís, da cidade de Itu, nesse capítulo da introdução do futebol no Brasil. Fatos que remontam ao final do século 19 quando se formavam as primeiras equipes daquele que viria a ser o mais popular esporte do país. Dessa forma sabemos que Itu não foi apenas o berço da República, mas também do futebol já que tudo se iniciou numa reforma do ensino organizada por Ruy Barbosa a pedido do Imperador Pedro II no ano de 1884. Também em São Paulo e em plena Avenida Paulista para onde se transferiu depois, o Colégio São Luís teve no passado boas equipes e houve até um princípio de convênio para que estudantes do mesmo fossem aproveitados na equipe do Santos F.C. Vem daí a lembrança do saudoso colega, o excelente repórter Ely Coimbra, que era muito bom de bola e que se iniciou na equipe juvenil daquele colégio e dali seguiria para o Santos, mas preferiu bandear-se para o jornalismo onde construiu bela carreira.

Ely Coimbra à direita desta belíssima foto, ao lado dele, Palacinho, que segundo Ely, foi um dos melhores jogadores que viu atuar.

Ely Coimbra à direita desta belíssima foto no Santos Futebol Clube, ao lado dele, Palacinho, que segundo Ely, foi um dos melhores jogadores que viu atuar.

Ely Coimbra tinha em campo uma postura e um domínio de bola que muito se assemelhava ao futebol praticado hoje por Paulo Henrique Ganso. Quem o viu jogar concordará comigo. Ligando mais minhas lembranças ao Colégio São Luís já em São Paulo, meu saudoso primogênito, Flávio, ali lecionou. Lembranças, quantas lembranças … Do Paulistão, quando era grandioso? Vamos lá. De quando o Palestra passou a Palmeiras; das batalhas do glorioso Trio de Ferro; da criação da Lei do Acesso em 1948; dos timaços da ciclotímica Portuguesa; da quebra do jejum corintiano diante da Ponte Preta em 1977; da construção do Morumbi; do reinado de Pelé, 11 vezes artilheiro-mor e puxando um pouco a brasa para nossa sardinha, quando Corintinha e Prudentina lá estiveram. Deixa rolar o Paulistão. Depois o focalizaremos. Não espero grande coisa, mas … quem sabe?

Flávio Araújo

Saiba mais sobre Flávio Araújo

Flávio Araújo, nasceu na cidade paulista de Presidente Prudente, lá iniciou sua carreira no rádio em 1950.

Depois militou no rádio esportivo e na imprensa esportiva da cidade de São Paulo cerca de 30 anos.

Trabalhou de 1957 até 1982 na Rádio Bandeirantes, onde se consagrou um maravilhoso narrador esportivo.

Flávio Araújo em 1960 narrando pela Rádio Bandeirantes, em Cáli, na Colômbia.

Encerrou suas atividades na cidade de São Paulo em 1986 na Fundação Cásper Líbero como Superintendente de Esportes da Rádio e TV Gazeta, nos tempos do saudoso Constantino Cury no comando do tradicional grupo de comunicação da Avenida Paulista.

Posteriormente trabalhou por mais 10 anos como comentarista esportivo na Rádio Central de Campinas-SP (de propriedade do ex-governador de São Paulo Orestes Quércia).

Flávio Araújo também foi co-proprietário da Rádio Cultura-AM de Poços de Caldas-MG.

A narração do milésimo gol do Rei Pelé escolhida pelos produtores do filme Pelé Eterno para integrar a obra é de Flávio Araújo.  Aliás, segundo Milton Neves, Flávio Araújo foi o locutor que mais narrou jogos do glorioso Santos Futebol Clube e gols do Rei Pelé.

Flávio Araújo e Milton Neves em 2001.

Ao longo de sua brilhante carreira transmitiu tudo sobre futebol, boxe, basquete e automobilismo.

Atualmente Flávio Araújo reside numa bela e tranquila cidade do interior paulista, onde ainda milita com histórias do futebol escrevendo colunas para sites e jornais.

Vale a pena conferir abaixo entrevista concedida, em 2009, por Flávio Araújo para André York do Programa Arremate Final. Contém áudios espetaculares de narrações de Flávio Araújo.

Parte 01:

Parte 02:

Bom, é isso aí! O Blog DNA Santástico, na figura de seu mantenedor Edmar Junior, agradece ao Sr. Flávio Araújo pela autorização para publicação de vossos textos no blog e parabeniza-lhe pelos excelentes serviços prestados ao esporte ao longo de toda sua trajetória.

Por ora, é só! Deixe seu comentário e até o próximo post!

Edmar Junior

Visite e CURTA a FAN PAGE do Blog DNA Santástico no Facebook!!!

Anúncios

Comente aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s