1963 – ANO DO *BI* MUNDIAL

50 ANOS BIMUNDIAL

Há 50 anos o Santos sagrou-se BICAMPEÃO MUNDIAL! Para celebrar esta importante conquista, abaixo reproduzo um texto originalmente publicado no famoso ALBUM DE OURO, 2ª edição, 1965.

1965 - ALBUM DE OURO

Album de Ouro

Derrotando o Boca Junior na final das Américas, novamente credenciou-se o alvinegro à final da Taça do Mundo Interclubes.

Pela Europa, qualificou-se o Milan, da Itália.

O primeiro encontro foi travado em Milão, no Estádio de San Siro, no dia 16 de outubro de 1963.

Ernst Haberfelnner, da Áustria, o Juiz.

Lula mandou a campo: Gilmar, Lima, Haroldo e Geraldino; Calvet e Zito; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe.

Enorme platéia a <<empurrar>> o Milan, para a vitória. Milão, grande centro industrial italiano, naquêle dia amanheceu com os olhos voltados para San Siro. E, à hora do prélio, o estádio apontava notável platéia, que traduzindo-se em cifras para moeda nacional, representava nada menos que Cr$ 280.000.000,00!

Não foi feliz o Santos, nêsse primeiro encontro.

Sofreu dois gols logo ao inicio. Recompôs-se em parte no inicio do período final, estabelecendo um gol, mas a seguir surgiu a pronta reação dos italianos.

Placar final:
Milan, 4
Santos, 2.

Os gols do Santos: Pelé.

A 14 de novembro daquele ano de 1963, no Maracanã, seria travada a segunda partida. Um empate bastaria ao Milan para a conquista do título.

Dias antes do sensacional combate, três enormes <<baixas>> no plantel alvinegro: Zito, Calvet e… Pelé!

A semana que antecedeu o encontro foi do mais intenso nervosismo. Tudo foi feito para que aquêles três soldados pudessem participar da batalha. Mas a luta resultou em vão. Não poderiam jogar.

O técnico santista escala o quadro: Gilmar, Ismael, Mauro e Dalmo; Haroldo e Lima; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Almir e Pepe.

Santos BIMUNDIAL - Blog DNA Santastico (4)

O argentino Juan Brossi dá início ao encontro, com os italianos formando: Ghezzi, David, Maldini e Trebi; Pelagali e Trapatoni; Mora, Lodeti, Mazzola, Rivera e Amarildo.

Quando o cronômetro atingia 20 minutos, já o placar apontava:

Santos, 0 x Milan, 2.

E assim foi até o final do período de abertura.

A platéia de Maracanã (Cr$ 98.075 500,00, recorde), a um só tempo pensou: o jôgo está perdido. Mas à êsse pensamento pessimista, sobrepujou-se a esperança. E assistiu-se, então, a um dos maiores espetáculos de todos os tempos, no que respeita à entusiasmo, vibração, brio. A uma só voz, o Maracanã aguardou a entrada do Santos para o período complementar, com estrepitosa demonstração de confiança. Mais de 130 mil pessoas a darem ao alvinegro a certeza de que êle não estava sozinho. Mais de uma centena de milhares de almas a dizerem ao Santos: o Brasil confia em tí!

Do céu começaram a cair fortes chuvas. Do estádio, viriam chuvas de emoções.

Nos primeiros minutos, Almir vence Guezzi, mas a pelota teimosamente choca-se contra a trave. . . Angústia, desespero, ansiedade. . .

Instantes após Pepe cobra falta e sacode as rêdes italianas. Era o início da inolvidável reação.

Mal o Maracanã termina de festejar o tento e Dalmo cobra falta pela esquerda. Mengálvio toca levemente de cabeça e determina: Santos, 2 x Milan, 2.

Santos BIMUNDIAL - Blog DNA Santastico (6)

O título ainda era do campeão europeu. Só a vitória poderia provocar o terceiro encontro.

Os minutos que se seguem são de enorme são de enorme expectativa. Ninguém desvia a atenção do jôgo. Todos voltados aos mínimos detalhes. E foi com êsse ambiente que Lima recebe a bola na intermediária do Milan, percebe um corredor à sua frente e invade. Ainda de fora da área, tenta o tiro. Coloca nos pés toda a fôrça que Deus lhe deu. Estufam as rêdes de Ghezzi. O Santos passa à frente.

Ainda estão atordoados os italianos. E antes que possam ajustar suas linhas, Pepe, novamente de falta, decreta mais um gol para os Santistas: 4×2. Em menos de vinte minutos, o Santos assinalara quatro tentos.

Assistiu-se, então, ao valsar alvinegro no Maracanã. A cancha molhada do maior estádio do mundo, não impediu que os santistas propiciassem àquela platéia tão dedicada, uma exibição esplendorosa.

||0||0||0||0||

Virada Historica - 1963 - Blog DNA Santastico

Chegou ao fim o encontro com a monumental vitória do Santos, provocando nova partida, que decidiria o cétro mundial, alí mesmo no Maracanã.

||0||0||0||0||

Nóvos exames em Pelé, Calvet e Zito. E todos revelaram que nenhum deles poderia jogar.

Mas o ânimo do praianos era inquebrantável.

Lula então, determinou o mesmo quadro para a batalha final: Gilmar, Ismael, Mauro e Dalmo; Haroldo e Lima; Dorval, Mengálvio, Coutinho, Almir e Pepe.

Quando Juan Brossi deu fim a batalha, o placar do Maracanã apontava o campeão do mundo:

Santos, 1
Milan, 0.

O autor do tento: Dalmo (de penal).

Santos BIMUNDIAL - Blog DNA Santastico (1)

A renda do encontro: Cr$ 91 546.000,00.

Com essa vitória o Santos conquistava, pela primeira vez na história do torneio, um bi-campeonato. Data, 16 de novembro.

Santos BIMUNDIAL - Blog DNA Santastico (5)

E o mundo inteiro, diante de tão viva demonstração de poderio, tributou-lhes as homenagens de IMPERADOR DO MUNDO!

Santos BIMUNDIAL - Blog DNA Santastico (3)

PARABÉNS SANTOS FUTEBOL CLUBE
PELOS 50 ANOS DESTA MARAVILHOSA CONQUISTA!!

Obs: narração dos gols pelo saudoso Fiori Gigliotti.

Colaborou neste post:

Wesley Miranda

Wesley Miranda

Por ora, é só! Deixe seu comentário (você pode inclusive usar seu perfil do Facebook para isto) e até o próximo post!

Edmar Junior - Blog DNA Santastico

Edmar Junior

Torcedor do Santos FC por hereditariedade.
– Sócio do Santos FC desde 08/2006.
Diretor Social na Associação Movimento Resgate Santista.
– Membro da Confraria do Futebol Paulista
Colecionador de livros sobre o Santos FC e seus ídolos.
Campeão do Quiz do Torcedor no Navio do Centenário.
Mantenedor do Blog DNA Santástico.
Mantenedor do Blog Miscelânea Santista.

 

Visite e CURTA a FAN PAGE do Blog DNA Santástico no Facebook!!!

Uma trilha sonora SANTÁSTICA para nação santista curtir enquanto navega:

SoundCloudSFC - Blog DNA Santastico

Clique na imagem e divirta-se!

Anúncios

Uma resposta para “1963 – ANO DO *BI* MUNDIAL

  1. Robertosantista

    Os versos desta conquista imouredora:
    Dalmo cruza a bola alta,                                                                                                                                                                                            para Mengálvio desviar,                                                                                                                                                                                                 Pepe faz dois gols batendo falta.                                                                                                                                                                               Lima, chuta forte pra marcar.
     
    Batendo duas faltas á sua maneira,                                                                                                                               Pepe assombrou os milaneses.                                                                                                                                                     Os chutes passaram no meio da barreira.                                                                                                                                      A meta italiana cairia mais vezes.
     
    A bola foi na área alçada.                                                                                                                                                 Mengálvio e Almir para cabecear.                                                                                                                                                    O desfecho desta jogada                                                                                                                                                               no ângulo esquerdo a bola foi entrar.
     
    Lima recebeu na intermediária.                                                                                                                                   Mesmo marcado, forte chutou.                                                                                                                                                     O goleiro Ghezzi imóvel na área                                                                                                                                                                  viu a bola aninhada no fundo do gol.

    Curtir

Comente aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s