PELÉ, APENAS.

Pelé, primeiro e único Rei do Futebol, tem 73 anos e deixou os campos quase quatro décadas atrás. Na fase derradeira de carreira gloriosa, ganhou uns milhares de dólares nos Estados Unidos; dinheiro para forrar o pé de meia. Mesmo após tanto tempo de aposentadoria, não sai de cena. Mais do que isso, ainda incomoda, como nos tempos em que era o terror e o encanto dos adversários.

Não passa semana sem que Pelé apareça na mídia, por publicidade ou por encontro com algum figurão ou por declaração polêmica. E tudo o que diz provoca barulho, proeza reservada só aos personagens realmente importantes, que contam. Não os meteoros que surgem e desaparecem num estalar de dedos. O mito é forte.

Rei Pele - 29052013 - Blog DNA Santastico

Mas virou moda, de uns anos para cá, buscar números, dentro de campo, que diminuam o que Pelé fez. Ou caçar afirmações que o desmereçam. Nunca é demais lembrar, que as proezas do Esportista do Século 20 foram obtidas em época sem marketing agressivo, sem tevês a cabo, muito menos mídias sociais, internet e outros babados tecnológicos. A lenda espalhou-se pela consistência dela mesmo, pelo extraordinário poder de sedução e magia de dribles, gols, carisma do astro. Pelé, na prática, antecipou-se à globalização.

Pelé é cidadão do mundo, reverenciado por onde passa. O passaporte que apresenta, nas alfândegas, é o sorriso dele. E basta. O documento em papel não significa nada além de formalidade. Os carimbos são estampados com reverência e constrangimento dos agentes de imigração. Pelé provocou trégua numa guerra na África, para que facções inimigas pudessem ir ao estádio vê-lo em ação. Pelé teve expulsão revogada, em amistoso nas Américas, por pressão da torcida, que não admitia sua saída. O juiz voltou atrás.

Aqui, no entanto, Pelé é desdenhado, muitas vezes ridicularizado. Desrespeitado e diminuído. Nota-se certo prazer mórbido em escarafunchar alguma estatística em que ele, supostamente, seja ultrapassado. Repare como, vira e mexe, aparece uma manchete dizendo que Fulano “fez o gol que Pelé não conseguiu” (em geral, antes do meio-campo). Pra ficar no superficial.

Pelé já foi cotejado com Di Stefano, Maradona e agora com Messi, para citar os mais famosos. Procuram-se aspectos em que estes craques sejam mais brilhantes do que o brasileiro. Dia desses, saiu que Cristiano Ronaldo está perto de igualar “recorde de gols de Pelé num ano”. Só que tal marca já havia sido estabelecida por Gerd Muller e Messi. Por que a referência a Pelé? Em recente jogo com o Chile, um repórter de tevê notou que, se Robinho marcasse, superaria Pelé em gols em amistosos contra os vizinhos andinos! Robinho fez o gol, e o locutor ironizou. “Superou Pelé…”

No início dos anos 2000, um jornal descobriu que Robinho tinha início de carreira, no Santos, melhor do que Pelé. Puxa, nossa! Depois, que Neymar tinha aproveitamento melhor do que Pelé. E por aí vai… Um tédio só.

Lamentáveis as pegadinhas que armam para Pelé. Por ser acessível, disponível, atencioso, paciente, constantemente cai em ratoeiras que lhe são armadas. Como não se nega a responder sobre o que quer que seja – não por empáfia, mas por simplicidade -, comete deslizes. Que na sequência, viram destaque na mídia e motivo de gozação. Mesmo assim, jamais foi grosseiro com imprensa. E poderia sê-lo, pois é o Rei. Acima de tudo, é Pelé – por isso não agride, não perde a linha, a altivez.

Não é preciso concordar com o pensamento de Pelé. Ele é incoerente, frágil, imperfeito, Tem medos e comete equívocos, como você, como eu, como o papa, como qualquer ser humano. Ainda bem. Mas é uma instituição, um herói nacional. E como tal deveria sempre ser tratado.

Na estreia do Brasil na Copa de 2002, foi distribuído papel com as autoridades presentes no estádio. Antes de cada uma, vinha uma série de referências, títulos, nome completo. O último nome da lista? “Pelé”. Apenas. Precisava de mais explicação?

Publicado originalmente em: O Estado de São Paulo por Antero Greco.

Por ora, é só! Deixe seu comentário (você pode inclusive usar seu perfil do Facebook para isto) e até o próximo post!

Edmar Junior - Blog DNA Santastico

Edmar Junior

Torcedor do Santos FC por hereditariedade.
– Sócio do Santos FC desde 08/2006.
Diretor Social na Associação Movimento Resgate Santista.
Membro da Confraria do Futebol Paulista/Por um Futebol Melhor
– Membro do Memofut (Grupo Literatura e Memória do Futebol)
Colecionador de livros sobre o Santos FC e seus ídolos.
Campeão do Quiz do Torcedor no Navio do Centenário.
Mantenedor do Blog DNA Santástico.
Mantenedor do Blog Miscelânea Santista.

 

Visite e CURTA a FAN PAGE do Blog DNA Santástico no Facebook!!!

Uma trilha sonora SANTÁSTICA para nação santista curtir enquanto navega:

SoundCloudSFC - Blog DNA Santastico

Clique na imagem e divirta-se!

Anúncios

2 Respostas para “PELÉ, APENAS.

  1. joricsilva@gmail.com

    Falou tudo, Edmar. Metem a boca, quando uma frase dele bate de frente com algo de interesse. Gostam de criticar o Pelé, mas não é o Pelé que está falando, e sim o sr. Edson Arantes do Nascimento, que como ser humano que é, comete erros como todos nós. Querem criticar que critiquem então o humano Edson e não o grandioso Pelé. O brasileiro gosta de falar mal de quem fez algo importante pro país, de herói nacional. Uma vez falaram na TV (não me recordo quem falou), que um país que teve Pelé, não deveria nunca idolatrar um maradona ou messi. Concordo plenamente.
    Meus filhos são torcedores do Santos como eu, e esses dias o meu mais velho me pediu pra comprar uma camisa do Neymar no barcelona. Olhei pra ele e disse: Você já possui 2 do Neymar no Santos. Ele me falou: Mas agora ele está no barcelona. Eu peguei a camisa do Santos e disse a ele. Olhe a história do Santos e compare com a do barcelona. Qual a história mais bonita. Ele parou, pensou e disse: Santos é claro.
    E eu disse a ele: Então, se você gosta do jogador Neymar, saia com a camisa que ele defendeu quando estava no seu time. Agora ele está do outro lado, devemos respeitá-lo como jogador, mas o orgulho de ser santista continua aqui. Nosso país tem o maior time de futebol que já passou por este planeta, o nosso glorioso Santos Futebol Clube, e esse orgulho tem que ser estampado todos os dias, não sobra espaço pra outro time seja daqui ou principalmente de fora.
    Então digo que quem tem Pelé, não precisa de Messi, Maradona ou seja quem for. Quem tem o Santos, não precisa de barcelona ou outro qualquer.

    Curtir

  2. Robertosantista

    Alguns versos ressaltando as qualidades do Rei do Futebol:
    Mil e trezentos gols assinalados,                                                                                                                                       das mais diversas maneiras.                                                                                                                                         Chutes de esquerda ou direita dados,                                                                                                                                      ou em cabeçadas certeiras.
     
    Gols de placa ou de penalidade,                                                                                                                   amistosos ou grandes finais.                                                                                                               Oportunismo ou em velocidade.                                                                                                                              Pelé sempre queria mais.
     
    Bola em movimento ou parada,                                                                                                                                     de chapa, de bico ou peito de pé.                                                                                                                                  Pênalti ou falta bem cobrada,                                                                                                                                  Como era bom um gol de Pelé.
     
    Em arrancadas irresistíveis,                                                                                                                                   driblando ou dando chapéus.                                                                                                                                           Em bicicletas incríveis,                                                                                                                                             cada gol seu, presente dos céus.
     
    Pelo Cosmos, Santos e Seleção,                                                                                                                                         Pelé mostrou-se incansável.                                                                                                                                     Marcou tentos em profusão.                                                                                                                               Seu apetite pelo gol, insaciável
    .
     

    Curtir

Comente aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s