Arquivo da tag: Luto

Descanse em Paz Laor

Faleceu na madrugada desta terça-feira em São Paulo Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, o Laor, ex-presidente do Santos. Aos 73 anos, o mandatário do Peixe entre 2009 e 2014 (licenciou-se no último ano por questões de saúde), estava internado no Albert Einstein. Com alguns erros e muitos acertos, Laor foi um dos mais vitoriosos presidentes da história santista, um homem carismático e pelo qual sempre tive muito respeito e admiração. No final de sua trajetória política no Santos estivemos em posições divergentes, mas isto não afetou meu reconhecimento por sua brilhante contribuição ao nosso amado Santos Futebol Clube. Obrigado Laor, descanse em paz!

Laor - RIP - Blog DNA Santastico

Banner Curso Trader Esportivo

Quer aprender a ganhar uma grana enquanto assiste aos jogos do PEIXE? Clique na imagem e saiba mais…


Por ora, é só! Deixe seu comentário (você pode inclusive usar seu perfil do Facebook para isto) e até o próximo post!

Edmar Junior - Blog DNA Santastico

Edmar Junior

Torcedor do Santos FC por hereditariedade.
– Sócio do Santos FC desde 08/2006.
Ex-Diretor Social da Associação Movimento Resgate Santista
– Membro da ASSOPHIS (Assoc. dos Pesq. e Historiadores do SFC)
Membro da Confraria do Futebol Paulista/Por um Futebol Melhor
– Membro do Memofut (Grupo Literatura e Memória do Futebol)
Colecionador de livros sobre o Santos FC e seus ídolos.
Campeão do Quiz do Torcedor no Navio do Centenário.
Mantenedor do Blog DNA Santástico.

  | 

Banner Trader Esportivo - 600 x 120 - Blog DNA Santástico

Anúncios

DESCANSE EM PAZ ETERNO ÍDOLO GYLMAR DOS SANTOS NEVES

O ex-goleiro Gylmar dos Santos Neves, de 83 anos, faleceu neste domingo (25) no Hospital Sírio-Libanês, na região central de São Paulo. Ele estava internado desde 8 de agosto com infecção urinária e infarto agudo no miocárdio.

Gilmar - Defesa - Blog DNA Santastico

Gylmar já apresentava sequela de um acidente vascular cerebral (AVC) ocorrido há 13 anos e insuficiência cardíaca. Ele estava internado com infecção sistêmica e o quadro era considerado irreversível.

Abaixo segue reprodução de post originalmente publicado em 14/09/2012 contendo uma singela homenagem que eu e amigos prestamos ao eterno ídolo Gylmar.

HOMENAGEM AO ETERNO ÍDOLO GYLMAR DOS SANTOS NEVES

Assim como fizemos anteriormente com o ex-jogador e eterno ídolo Dalmo Gaspar, eu e meus amigos Alex Santos e Wesley Miranda com muita honra prestamos mais uma homenagem para um grande ídolo da história do Santos Futebol Clube, desta vez o homenageado foi Gylmar dos Santos Neves, que de forma excepcional gentilmente nos recebeu em vossa residência e nos permitiu vivenciar uma experiência emocional que jamais esqueceremos!

Goleiro extremamente vitorioso no Santos Futebol Clube e na seleção brasileira, Gylmar marcou época e foi sem dúvida um dos melhores goleiros da história do futebol mundial em todos os tempos.

Acompanhado por sua esposa, o eterno ídolo Gylmar recebeu das nossas mãos uma placa como forma de agradecimento por sua dedicação e por tudo que ele fez literalmente defendendo o Santos Futebol Clube.

Placa que foi entregue ao ídolo Gylmar

Alex Santos, Edmar Junior e Wesley Miranda com o ídolo Gylmar e esposa.

Visivelmente emocionado, assim como todos que ali estavam, Gylmar chorou, mas como ressaltou sua esposa, foi um choro de alegria!

Para descontrair, contamos ao Gylmar sobre a visita que realizamos anteriormente ao Dalmo Gaspar, companheiro dele no grande Santos dos anos 60, meu amigo Alex Santos mostrou-lhe um vídeo que gravamos na casa do Dalmo e Gylmar sorriu demonstrando alegria ao ver as imagens.

Gylmar assistindo vídeo que gravamos na casa do seu companheiro de Santos Futebol Clube, o Dalmo Gaspar.

Num momento posterior e ainda mais descontraído, o ídolo Gylmar nos permitiu utilizar um par de luvas que ele usou nos áureos tempos em que defendia a meta santista.

Edmar Junior, Alex Santos e Wesley Miranda com as luvas de goleiro outrora utilizadas pelo ídolo Gylmar dos Santos Neves

Gylmar ficou extremamente feliz com a nossa homenagem! Como forma de agradecimento, mesmo com as limitações físicas decorrentes de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) sofrido anos atrás, ele não mediu esforços para nos conceder autógrafos, algo que já não fazia há algum tempo, mesmo com certa dificuldade ele conseguiu e deixou todos surpresos, inclusive as pessoas que convivem diariamente com ele.

A ocorrência do AVC que Gylmar sofreu no ano 2000, teve como consequência a paralisação do lado direito do corpo, desde então ele faz uso de uma cadeira de rodas, tem dificuldade para falar, mas nunca perdeu a lucidez.

Gylmar concedendo autógrafo no meu manto sagrado da Vila.

Antes de encerrarmos a visita, fiz questão de beijar uma das mãos milagrosas do ídolo Gylmar, foi um gesto de humildade, respeito, reverência e agradecimento pelas inúmeras defesas que ele praticou pelo nosso glorioso Santos Futebol Clube.

vídeo

Contém imagens da carreira de Gylmar e da homenagem que prestamos.

gylmar dos santos neves, SAIBA MAIS…

Natural da cidade de Santos, Gilmar (com “i” como ficou conhecido no mundo da bola) dos Santos Neves, nasceu no dia 22 de agosto de 1930.

O jovem Gilmar iniciou sua trajetória no futebol em 1945, aos 15 anos de idade, no antigo Hespanha, atual Jabaquara, clube localizado no bairro em que Gilmar residia, o Jabaquara. Em 1949, aos 19 anos, após o término de sua prestação militar onde atendia como “Cabo Neves”, tornou-se titular do Hespanha.

Em 1951, após uma inusitada negociação Gilmar transferiu-se para o Corinthians, onde permaneceu até 1961. Em meio a este período, Gilmar foi convocado em 1953 pela primeira vez para defender a seleção brasileira, porém, uma contusão impediu o técnico da seleção, Zezé Moreira, convocar Gilmar para aquela que poderia ter sido sua primeira Copa do Mundo, na Suiça em 1954.

Mais adiante Gilmar conquistou a chance de defender a meta brasileira na Copa do Mundo realizada na Suécia em 1958, convocado pelo então técnico Vicente Feola. Aos 28 anos, Gilmar debutava em mundiais ao lado de grandes jogadores. A seleção fez uma bela campanha, a grande decisão foi contra os suecos, donos da casa, o Brasil de Gilmar não decepcionou, venceu por 5 x 2 e conquistou o primeiro título mundial de sua história.

A Copa de 1958 mostrou além do título brasileiro, o surgimento do melhor jogador de todos os tempos – Pelé -, mas ela serviu também para mostrar ao mundo o melhor goleiro brasileiro de todos os tempos: Gilmar. Reverenciado e escolhido por todos –  inclusive pela lenda Lev Yashin, o “Aranha Negra”, como o melhor goleiro da Copa de 1958 na Suécia.

Uma imagem que certamente ficou eternizada após a conquista do mundial foi o emocionado Gilmar ainda no gramado, após a vitória contra a Suécia, abraçado ao então garoto Pelé que estava em prantos de alegria.

No retorno ao Brasil, Gilmar e os demais jogadores desembarcaram no Rio de Janeiro acompanhados de quatro aviões da FAB. Em seguida, rumaram ao Palácio do Catete, onde receberam das mãos do Presidente da República Juscelino Kubitschek, medalhas de honra ao mérito.

Gilmar, unanimidade perante a meta brasileira, continuou titular absoluto da seleção e, em 1962, na Copa do Chile, comanda por Aymoré Moreira, disputou o segundo mundial consecutivo de sua carreira, sagrando-se bicampeão mundial.

As vésperas de completar 36 anos de idade, Gilmar participou de seu terceiro e último mundial, em 1966, na Inglaterra. Dessa vez, porém, a seleção canarinho não obteve êxito.

No mesmo ano da fatídica Copa da Inglaterra, Gilmar, extremamente disciplinado e leal, recebeu o troféu Belfort Duarte (prêmio inspirado no jogador maranhense João Evangelista Belfort Duarte, campeão carioca pelo América em 1913, considerado um ícone da lealdade e disciplina dentro de campo. O troféu era conferido aos atletas mais disciplinados).

Três anos mais tarde, em 1969, aos 39 anos de idade, Gilmar despedia-se da seleção brasileira no amistoso realizado contra seleção da Inglaterra, no Maracanã, no dia 12 de junho de 1969. O Brasil venceu por 2 x 1. O goleiro aposentava a camisa canarinho em meio ao auge da ditadura militar brasileira do general Médici. Em 16 anos na meta brasileira, Gilmar atuou 103 partidas, sofrendo 104 gols, conquistando os seguintes títulos:

– Copa do Mundo: 1958 e 62.
– Copa Oswaldo Cruz: 1955, 58, 61 62 e 68.
– Copa Roca: 1957, 60 e 63.
– Copa O´Higgins: 1959 e 60.
– Copa do Atlântico: 1960.

A história de Gilmar no gol da seleção brasileira foi realmente espetacular. Contudo, o retorno ao Corinthians, após a Copa da Suécia em 1958, não foi o que realmente o “Girafa” (apelido de Gilmar) esperava. Sofrendo pelo envelhecimento do time e com o engradecimento dos adversários paulistas diretos, principalmente o Santos de Pelé, culminando com a fila de títulos que já começava a incomodar, começou a ruir a carreira de Gilmar no clube. A gota d´água aconteceu em julho de 1961, em uma briga com o presidente do clube Wadih Helou. Gilmar, acabou tendo o seu passe vendido ao Santos.

Na Vila Belmiro, Gilmar conquistou muito mais glórias e reconhecimento, sendo aclamado como o grande guardião da história do Peixe. O já forte Santos do Rei Pelé, com a chegada de Gilmar, tornou-se ainda mais forte. Ele era o goleiro espetacular para uma equipe espetacular. No clube, conquistou todos os títulos imagináveis.

Gilmar no melhor time de todos os tempos!

Jogou contra o Corinthians pela primeira vez, no dia 23 de setembro de 1962 pelo Campeonato Paulista, na Vila Belmiro. O Corinthians, na época grande freguês santista, como se esperava foi goleado, na ocasião por 5 x 2. Vestindo a camisa santista, entre os anos de 1962 a 1969, enfrentou seu ex-time Corinthians onze vezes, venceu dez e empatou uma, sofreu 16 gols e viu sua equipe balançar as redes corinthianas 35 vezes.

Entre as inúmeras conquistas de Gilmar com a camisa do Santos, as mais importantes foram o bicampeonato da Taça Libertadores da América e do mundial  interclubes em 1962 e 1963.

Em 1969, mesmo ano em que se aposentou da seleção brasileira, Gilmar também se aposentou definitivamente dos gramados, encerrando no Santos a vitoriosa carreira de muitos títulos,  fato que lhe rendeu uma conquista pessoal, sendo o goleiro mais vezes campeão do futebol brasileiro de todos os tempos.

O goleiro encerrou sua vida profissional no futebol, mas estava longe de encerrar a liderança exercida em vinte anos de carreira. Logo após sua despedida dos gramados, Gilmar foi convidado para presidir o Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de São Paulo, cargo em que permaneceu até meados de 1971. Em 1982, após um logo hiato de onze anos que o separou da vida futebolística, atuando como comerciante de automóveis, voltou atuar na seleção brasileira, dessa vez como supervisor técnico ao lado do treinador Carlos Alberto Parreira, com a difícil missão de renovar a seleção duramente eliminada na Copa da Espanha em 82. Permaneceu no cargo até 1984. Voltou a atuar como dirigente esportivo somente em 2000, porém, em um cargo público como secretário de esportes da Prefeitura de São Paulo, precisando afastar-se, infelizmente, devido a um AVC ocorrido no dia 16 de Junho de 2000, que o deixou internado na UTI, às vésperas de completar 70 anos de idade. Felizmente, o guardião santista sobreviveu. No entanto, hoje vive com parte do corpo paralisado.

Com sua calma, técnica, frieza e liderança, Gilmar foi sinônimo de confiança à frente do lendário gol santista. Em sete anos de clube, manteve tranquilos os zagueiros que com ele jogavam, pois sabiam que a única posição do time que jamais poderia falhar estava guarnecida com o melhor goleiro brasileiro de todos os tempos. Gilmar, sem a menor sombra de dúvidas, foi o goleiro à altura real da grandeza da equipe do Santos.

Gilmar dos Santos Neves, que com a camisa do Santos, conquistou as maiores glórias possíveis na vida de um jogador de futebol, provou que é possível nascer grama onde pisa um goleiro, desde que o goleiro seja ele, é claro.

Referência Bibliográfica:
Grandes Ídolos do Santos / Martinez, André / Ícone Editora / 2011

Títulos que Gilmar conquistou no Santos Futebol Clube:

– Campeão Mundial (1962/1963);
– Campeão da Libertadores da América (1962/1963);
– Campeão Brasileiro (1962/1963/1964/1965/1968);
– Campeão Torneio Rio-São Paulo (1963/1964/1966);
– Campeão Paulista (1962/1964/1965/1967/1968);
– Campeão Recopa Sul-Americana (1968);
– Campeão Recopa Mundial (1968).

Fonte: Santos Futebol Clube

Assista também:

Em suma, eu jamais esquecerei deste dia que tivemos com o eterno ídolo Gylmar, foi emocionante,  tenho certeza que este é também o sentimento dos meus amigos Alex Santos e Wesley Miranda.

Antes de terminar o post, registro um agradecimento especial ao Marcelo Neves (filho de Gylmar) e Sra Rachel Neves (esposa do Gylmar), pois ambos foram fundamentais na viabilização da homenagem prestada ao eterno ídolo Gylmar dos Santos Neves, muito obrigado!

Por ora, é só! Deixe seu comentário (você pode inclusive usar seu perfil do Facebook para isto) e até o próximo post!

Edmar Junior - Blog DNA Santastico

Edmar Junior

Torcedor do Santos FC por hereditariedade.
– Sócio do Santos FC desde 08/2006.
Diretor Social na Associação Movimento Resgate Santista.
Colecionador de livros sobre o Santos FC e seus ídolos.
Campeão do Quiz do Torcedor no Navio do Centenário.
Mantenedor do Blog DNA Santástico.
Mantenedor do Blog Miscelânea Santista.

 

Visite e CURTA a FAN PAGE do Blog DNA Santástico no Facebook!!!

Descanse em paz Chorão

O vocalista da banda Charlie Brown Jr, Alexandre Magno Abrão, o Chorão, foi encontrado morto em seu apartamento na Rua Morás, em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, na madrugada da quarta-feira (6/3/2013). Ele tinha 42 anos.

Chorao - Blog DNA Santastico

Chorão foi encontrado desacordado pelo seu motorista, que acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A unidade de resgate constatou que ele já estava morto. A Polícia Militar disse ter recebido um chamado às 5h18 para “verificação de morte natural em um apartamento”. Chorão morava no oitavo andar do edifício.

Por volta das 6h30, policiais civis e militares e peritos estavam no prédio do cantor. O delegado que investiga o caso disse que ainda não é possível dizer a causa da morte do vocalista. A causa será determinada pela perícia.

Chorão liderava a banda que foi formada e estabelecida na cidade de Santos, no litoral de São Paulo, na década de 1990. Em 15 anos de carreira, a banda lançou dez discos, segundo o site oficial do grupo. O grupo vendeu 5 milhões de cópias. Além de vocalista e letrista, Chorão era o responsável pelo direcionamento artístico e executivo da banda. Em 2004, o álbum “Tâmo aí na Atividade” foi premiado com o Grammy Latino. No ano passado, o grupo lançou o álbum “Música Popular Caiçara”, com destaque para a música “Céu Azul”.

Chorão foi o único integrante do Charlie Brown Jr que esteve em todas as formações da banda. O apelido é da adolescência. Quando ele ainda não sabia andar de skate, ficava apenas olhando os amigos. Um deles virou para Chorão e disse para ele “não chorar”. A alcunha pegou.

Paulistano, Chorão adotou a cidade de Santos desde a juventude, onde criou o Charlie Brown Jr.

Roteirista do filme “O Magnata”, já realizado, e do longa metragem “O Cobrador”, em andamento, como empresário administrou marcas de skate e viabilizou a realização de grandes eventos de skate no Brasil, além de manter o Chorão Skate Park em Santos.

O próximo show da banda estava marcado para o dia 22 de março, em Campo Grande, no Rio de Janeiro.

Fonte: G1

CHORÃO E O SANTOS FUTEBOL CLUBE

Chorão tinha uma relação muita próxima ao Santos Futebol Clube.

Chorao - Blog DNA Santastico

O cantor chegou a participar de ações do clube, como por exemplo o show que fez no dia do retorno do craque Robinho ao Santos Futebol Clube em 2010.

Presidente Luis Alvaro, Robinho, Pelé e Chorão

Presidente Luis Alvaro, Robinho, Pelé e Chorão

Na canção Música Popular Caiçara, Chorão homenageou o Santos Futebol Clube:

No ano passado, há exatamente 1 ano, durante do Cruzeiro do Centenário do Santos, Chorão e sua banda foram a grande atração musical a bordo do Navio Grand Mistral.

CBJR - NAVIO

Bastidores:

Palinha antes do show:

Começo do show:

Histórias, nossas histórias, dias de luta, dias de glória…

E Chorão agradeceu a Diretoria do Santos:

Papo é reto e até os ex-jogadores subiram ao palco:

Encerramento do show:

Clique aqui e saiba mais sobre o show no Navio do Centenário

Chorao - Blog DNA Santastico (2)

Chorão e Edmar Junior

Neste próximo vídeo apareço ao lado de Chorão em 1:11, ele estava feliz e exercendo seu talento, assim desejo lembrar dele daqui pra frente, Chorão eternamente Menino da Vila:

O Blog DNA Santástico, na figura de seu mantenedor Edmar Junior, lamenta profundamente a morte de Chorão e expressa através deste post sinceros sentimentos a família, aos integrantes da banda CBJR e a todos os fãs.

Chorao - Blog DNA Santastico (1)

Descanse em paz Chorão!

“Nascer, viver e no Santos morrer é um orgulho que nem todos podem ter”

Veja Tambem - Blog DNA Santastico

Chorão dando palinha no Cruzeiro do Centenário do FC e homenagem pontual

Navio do Centenário – 3º Dia | Parte 04 | Show Charlie Brown Jr

Post atualizado em 06/03/2017

Banner Curso Trader Esportivo

Quer aprender a ganhar uma grana enquanto assiste aos jogos do PEIXE? Clique na imagem e saiba mais…


Por ora, é só! Deixe seu comentário (você pode inclusive usar seu perfil do Facebook para isto) e até o próximo post!

Edmar Junior - Blog DNA Santastico

Edmar Junior

Torcedor do Santos FC por hereditariedade.
– Sócio do Santos FC desde 08/2006.
Ex-Diretor Social da Associação Movimento Resgate Santista
– Membro da ASSOPHIS (Assoc. dos Pesq. e Historiadores do SFC)
Membro da Confraria do Futebol Paulista/Por um Futebol Melhor
– Membro do Memofut (Grupo Literatura e Memória do Futebol)
Colecionador de livros sobre o Santos FC e seus ídolos.
Campeão do Quiz do Torcedor no Navio do Centenário.
Mantenedor do Blog DNA Santástico.

  | 

Banner Trader Esportivo - 600 x 120 - Blog DNA Santástico

DESCANSE EM PAZ VITOR MORAN

O repórter e comentarista esportivo Vitor Moran morreu, aos 72 anos, na madrugada deste domingo (17/02) em Santos após sofrer falência múltipla de órgãos.

Luto

Vitor Moran

Vitor Moran – Foto: Ednilson Valia / Portal TT

Primo de Nicolau Moran Vilar (célebre dirigente esportivo do Santos Futebol Clube nos anos 60), Emilio Vitorino Moran começou a trabalhar em rádio em 1959 na cidade de Santos, mas foi na Rádio Tupi que ganhou destaque durante a década de 60, na famosa equipe 1040 de Milton Camargo:

Da esquerda para a direita, em pé: Milton Camargo, Antônio Rangel, Osvaldo Mesquita, Manoel Ramos e Francisco Natal. Em pé, na segunda fileira: Alfredo Orlando, Wilson de Freitas, Marco Antônio, Lucas Neto, Ávila Machado e Haroldo Fernandes. Agachados: Vitor Moran, José Ribeiro, José Roberto Ramos e José Goés

Equipe 1040: da esquerda para a direita, em pé: Milton Camargo, Antônio Rangel, Osvaldo Mesquita, Manoel Ramos e Francisco Natal. Em pé, na segunda fileira: Alfredo Orlando, Wilson de Freitas, Marco Antônio, Lucas Neto, Ávila Machado e Haroldo Fernandes. Agachados: Vitor Moran, José Ribeiro, José Roberto Ramos e José Goés. – Foto: Que fim levou? Por Milton Neves

Foi considerado um dos jornalistas de melhor memória da história da crônica esportiva brasileira e também foi apontado como o homem que mais viu Pelé jogar.

Vitor Moran, nos áureos tempos, entrevistando Pelé.

Vitor Moran, nos áureos tempos, entrevistando Pelé – Foto: Que fim levou? Por Milton Neves

Pelé ao lado do repórter Vitor Moran no último jogo do Rei, no estádio do Morumbi, em São Paulo. Crédito da foto: My Ear

Vitor Moran ao lado de Pelé, último jogo do Rei pela Seleção, no estádio do Morumbi, em São Paulo – Foto: My Ear

Vitor Moran, que também era conhecido como “Agulha” chegou a cobrir duas Copas do Mundo, 1978 na Argentina e 1982 na Espanha. Na década de 90 voltou a atuar em Santos, passou pelas rádios Cacique, Cultura, CBN Litoral, Guarujá AM e FM e também pelas TV Santa Cecília e TV Com.

Edmar Junior e Vitor Moran

Edmar Junior e Vitor Moran no dia 03/02/2013, ele estava aparentemente bem e feliz, minutos antes desta foto estava batucando numa mesa da Padaria A Santista e cantarolando uma marchinha de Carnaval. – Foto: Acervo Pessoal Edmar Jr

Moran estava internado no Pronto Socorro do Macuco desde terça-feira, dia 12 de fevereiro, era viúvo de dona Lourdes e não deixou filhos, seu corpo será velado a partir das 19h, na Santa Casa de Santos, o sepultamento será amanhã (18/02) no cemitério da Areia Branca em horário ainda não definido.

O jogo Ponte Preta x Santos válido pelo Paulistão 2013, marcado para as 18:30hs no Estádio Moisés Lucarelli será antecedido por um minuto de silêncio em memória de Vitor Moran.

O Blog DNA Santástico, na figura de seu mantenedor Edmar Junior, lamenta esta perda irreparável e deseja que o saudoso Vitor Moran descanse em paz!

Edmar Junior

NOTA DE PESAR

Quatro pessoas morreram e seis ficaram feridas após um carro alegórico da Escola de Samba da Torcida Sangue Jovem do Santos tocar em fios elétricos e pegar fogo na madrugada desta terça-feira (12) em Santos, no litoral de São Paulo, durante o desfile do grupo especial da cidade.

Luto

As vítimas, três integrantes da escola e uma mulher que assistia ao desfile, morreram eletrocutadas. A espectadora chegou a ser levada para o Pronto-Socorro da Zona Noroeste da cidade, mas não resistiu.

O fogo no carro começou por volta da 1h15, logo após a alegoria bater nos fios, já na dispersão. O Sambódromo ficou às escuras e os desfiles foram cancelados.

Carro alegórico da Sangue Jovem pegou fogo após tocar fio elétrico. (Foto: Fúlvio Feola / G1)

Carro alegórico da Sangue Jovem pegou fogo após tocar fio elétrico. (Foto: Fúlvio Feola / G1)

Através de seu site oficial o Santos Futebol Clube lamentou o acidente ocorrido, o Clube mostrou-se solidário à dor dos familiares, amigos e informou que está oferecendo todo o apoio a eles e a Escola de Samba da Torcida Sangue Jovem neste momento difícil.

O Blog DNA Santástico, na figura de seu mantenedor Edmar Junior, diante desta terrível tragédia, manifesta através deste post muito pesar, tristeza e solidariedade, em especial aos familiares das vítimas e amigos da Escola de Samba da Torcida Sangue Jovem do Santos.

Saiba mais no Portal G1:
Carro alegórico toca fio elétrico, pega fogo e deixa 4 mortos em Santos

Edmar Junior